quinta-feira, 19 de abril de 2018

♛ Abram alas ao Rei!

┼ Black Sabbath '69 ┼

© Lothar Schiffler

Review: ⚡ Kosmodrom - ‘Gravitationsnarkose’ (2018) ⚡

Depois de em 2016 ter comungado, digerido e enaltecido o EP de estreia ‘Sonnenfracht’ (review aqui), eis que a formação germânica Kosmodrom acaba de motivar novo elogio da minha parte com o lançamento do seu primeiro e tão esperado álbum de estúdio ‘Gravitationsnarkose’. Apesar do seu nascimento oficial estar agendado apenas para o próximo dia 21 de Abril nos formatos físicos de CD e vinil, este quarteto sediado na região de Oberfranken deu-me a irrecusável e honrosa oportunidade de ouvir em primeira mão este seu novo registo, acrescentando ainda a agradável curiosidade de se ter baseado num termo usado na minha análise ao seu EP para a eleição da denominação deste belíssimo álbum. E se a sua estreia já me tinha conquistado e apaixonado, ‘Gravitationsnarkose’ representa a confirmação acabada de todo o seu requinte instrumental. Este álbum baseia-se e passeia-se num deslumbrante, edénico, sidérico e contagiante Psych Rock de radiância veraneia que se obscurece, agiganta e robustece num fervilhante, vigoroso, furioso e tonificante Stoner Rock saturado de adrenalina. Existe algo de verdadeiramente extasiante na mélica e ataráxica ambiência de ‘Gravitationsnarkose’ que me perfuma, acalora, e me obriga a vivenciá-lo do primeiro ao último minuto numa intensa e imperturbável sensação de bem-estar. É de olhar selado e narcotizado, alma relaxada e deliciada, e corpo totalmente entregue e balanceado à hipnótica, fascinante e apoteótica ritmicidade, que este venerável registo de Kosmodrom nos enleva e carrega pelas suas prazerosas, idílicas e fantasiosas paisagens sonoras. São cerca de 39 minutos ensolarados e afagados por uma atmosfera paradisíaca, sublimemente climatizada por duas guitarras maravilhosas que se entrelaçam na criação e condução de comoventes, voluptuosos, ostentosos e resplandecentes acordes, e se esgrimam com os seus solos atordoantes, velozes e delirantes, um baixo meditativo de linhas dançantes, envolventes, sombreadas e oscilantes, e ainda uma bateria encantadora de afável e deleitável orientação rítmica que tiquetaqueia com desarmante delicadeza e emoção todos os momentos de ‘Gravitationsnarkose’. Inalem toda a arrebatadora, inebriante e magnetizante brisa sonora desta inspirada obra-prima de Kosmodrom e sintam-se transcender e gravitar a órbita de um dos mais ataráxicos álbuns desabrochados em 2018.

Uncle Acid and The Deadbeats (c/ L.A. Witch) // Wasteland Tour 2018

quarta-feira, 18 de abril de 2018

terça-feira, 17 de abril de 2018

🐙 Viaje a 800 - "3 Dios Astrónomo" (2007)

🧙 Witch - "Changing" (2006)

🏜 Yawning Man em Portugal // 11.09 Porto, Woodstock 69

Review: ⚡ The Crazy Left Experience - ‘Death, Destruction And Magic’ (2018) ⚡

Da capital portuguesa chega-nos o novo álbum de estúdio do power-trio The Crazy Left Experience apelidado de ‘Death, Destruction And Magic’. Lançado muito recentemente através do selo discográfico alemão Adansonia Records no formato físico de vinil, este renovado capítulo da sublime e fascinante odisseia cósmica trilhada pela banda lisboeta sustenta – a par do seu antecessor ‘Bill's 108th Space Odyssey’ (review aqui) – uma envolvente, agradável e estimulante sonoridade de onde se extrai um lenitivo, deslumbrante e explorativo Psych Rock em hipnótica consonância com um viajante, meditativo, morfínico e ofuscante Space Rock que nos desamarra da gravidade terrestre para nos transcender num vertiginoso mergulho cósmico. É à boleia das suas encantadoras jams de natureza sideral que somos abraçados e dissolvidos numa densa e dominadora narcose que nos climatiza e eteriza do primeiro ao derradeiro tema. São cerca de 32 minutos governados por uma atmosfera alienígena que nos intriga, seduz e magnetiza na direcção dos mais longínquos e secretos astros enraizados no negro solo astral. Recostem-se confortavelmente, respirem lenta e profundamente, desmaiem as pálpebras, e deixem-se induzir por um prazeroso estádio de intensa lisergia nutrida por uma guitarra vagueante que coloniza todo o Universo com os seus solos ecoantes, alucinógenos, ácidos e delirantes, um baixo hipnotizante de linhas pesadas, robustas, torneadas e pulsantes, e uma bateria cintilante, ritmada e relaxante que escolta todas as ousadas, extravagantes e arrebatadas digressões da guitarra pela infinita espacialidade de ‘Death, Destruction And Magic’. Este é um álbum que nos sulfata a alma de uma psicotrópica poeira estelar e estaciona a consciência num verdadeiro e edénico oásis espiritual. Um registo verdadeiramente transcendente - forjado e suspirado pelas estrelas – que nos aquieta e enfeitiça com a sua inebriante bafagem epicurista. Diluam toda a vossa lucidez na tranquilizante essência de The Crazy Left Experience e sintam-se naufragar pela desmesurada vastidão do oceano cósmico. Estamos mesmo na presença de um dos mais apaixonantes discos de origem nacional, e que certamente no final do ano rivalizará por uma das mais elevadas posições dos melhores álbuns lançados em 2018.

🌟 Hällas - Astral Seer